Maputo, Cabo Delgado, Nampula e agora Niassa! Os profissionais dos media, oriundos de diversos pontos da província participaram da mesa redonda que ocorreu ontem (24.09.20).

À semelhança das outras mesas redondas, teve como intuito o debate e o aperfeiçoamento das técnicas de comunicação de modo a combater o radicalismo religioso.

De acordo um dos profissionais presentes a formação veio agregar valor para esclarecer conceitos que são fundamentais para abordar sobre a situação corrente.

Na mesma ocasião, perguntado sobre o feedback da iniciativa, outro profissional dos media partilhou que o debate abriu a sua mente e à partida forneceu base para abordar eficientemente as notíciais ligadas aos fenómenos extremistas. O mesmo afirmou que não conhecia a profundidade e a diferença de alguns termos, o que acabou por ser bastante útil , não apenas como profissional dos media, mas também como cidadão.

Salvador Forquilha,  diretor e investigador do Instituto de Estudos Económicos e Sociais (IESE), um dos oradores, considera que balanço foi  positivo, porque todos os presentes mostraram muito interesse em ouvir e participar da discussão, trouxeram muitas questões interessantes que ajudam aos pesquisadores como ele e o João Pereira (diretor e investigador da Fundação Mecanismo de Apoio a Sociedade Civil) a desenvolver as suas pesquisas. Mas também constatou que eles têm a necessidade de ter mais espaços de debate da mesma natureza, pois são eles  que estão em contacto directo com as comunidades locais, a formação é crucial de modo que as informações que forem a elaborar sejam realistas, de acordo ao contexto e que passem uma dados que possam combater as iniciativas mais radicais

Um dos presentes deixou o desafio à Fundação MASC para continuar a replicar o mesmo tipo actividade pois  constitui partilha  de informação muito relevante!