Tomando como exemplo as boas práticas da Incubadora Cívica na cidade de Pemba relativa à promoção da cidadania activa para empoderar os jovens nos espaços públicos e democratizar o Estado, a Fundação MASC implantou igualmente no distrito de Montepuez a Incubadora Cívica.

A cerimónia foi realizada ontem, dia 11 de Outubro de 2020 com os membros da associação de estudantes da Unirovuma, delegação de Montepuez e constitui o objecto de estudo o guião da Incubadora Cívica.

Na cerimónia o facilitador apresentou as linhas gerais que orientam esta iniciativa (objectivos, actividades a realizar e resultados esperados) e, o entendimento que houve por parte dos jovens é que estes querem líder os processos e espaços de tomada de decisão a nível dos distritos porque sentem que não tem voz e nem vez nesses espaços.

A criação de movimentos sociais activos são legalmente reconhecidos e jovens entendem que há uma necessidade de firmar parcerias com o governo local para assegura o direito as comunidades e preservar os recursos naturais que o distrito dispõe, ou seja, estes querem ser actores de mudança por meio do treinamento que a Incubadora Cívica vai proporcionar e, assim, advogar em prol da comunidade.

O alastramento geográfico da Incubadora Cívica para os distritos surge no âmbito da constatação segundo qual o distrito de Montepuez está propenso a ataques terroristas e redes de recrutamento de jovens para as fileiras dos insurgentes, provocando um estágio de violência endémica.  Refira-se ainda que no distrito de Montepuez ainda registam casos de conflitos de terra envolvendo a comunidade local e a empresa Rubi Mining.