Mulheres deslocadas de guerra e membros de Grupos de Poupança, ao nível da província de Cabo Delgado, beneficiaram, recentemente, de um treinamento sobre noções básicas de fotografia.

Organizado pela Fundação MASC, o treinamento abrangeu, na fase piloto, 15 beneficiárias. São mulheres que, devido ao extremismo violento na província de Cabo Delgado, viram-se obrigadas a abandonar as suas zonas de origem à procura de segurança, em locais como a cidade de Pemba, onde a capacitação decorreu.

Antes de abandonarem as suas casas, na sua maioria, as beneficiárias faziam parte, nas suas zonas de origem, dos Grupos de Poupança, uma das iniciativas da Fundação MASC para o empoderamento económico, político e social das mulheres.

Além da componente teórica, o treinamento compreendeu, também, aulas práticas, durante as quais as beneficiárias tiveram a oportunidade de fotografar pessoas, rostos, objectos, casas, espaços, vida social, trabalho doméstico, procura de água, trabalho de machamba, entre outras situações do quotidiano, incluindo o seu próprio.

Aliás, o drama humanitário que se vive no norte de Moçambique tem marcas profundas na comunidade. Assim, as mulheres deslocadas tiveram, na capacitação de Pemba, uma oportunidade para melhor retratarem a sua condição de vítimas do extremismo violento.

As fotografias por si produzidas poderão, futuramente, ser usadas para efeitos como exposições, em que as receitas se revertam a seu favor.

Depois de Cabo Delgado, o treinamento poderá ser replicado nas províncias de Nampula e Niassa, também elas no norte de Moçambique.

Pretende-se que, uma vez adquirem conhecimentos sobre fotografia, as mulheres passem a retratar e construir as suas próprias narrativas fotográficas e das comunidades onde se inserem.