Relatório Anual (2013)

 

Temos a honra de partilhar o Relatório Anual do MASC 2013. Para ter acesso ao documento clique: Relatório Anual do MASC 2013.

Relatorio Anual (2012)

 

O ano de 2012 foi o primeiro do período de extensão do MASC até Março de 2015. Neste ano de 2013, para além do DFID e IrishAid, o MASC passou a contar com o apoio financeiro da USAID, totalizando três doadores. Mais de 90% das actividades planificadas para 2012 foram implementadas. Além das actividades planificadas, o MASC também esteve envolvido em processos relacionados com a sua transformação em entidade local. A sua equipa foi incrementada com o recrutamento de novas pessoas para as áreas de gestão financeira, comunicação, monitoria e avaliação e Agentes Facilitadores para as regiões Norte e Sul, as quais estiveram desprovidas desta figura nos últimos anos.

 

O relatório debruça-se sobre as realizações do MASC ao longo de 2012. Contudo, devido à natureza e missão do MASC, não é possível dissociar da análise alguns resultados cumulativos dos anos anteriores. Esta visão está em conformidade com o princípio de gradualismo do sistema de monitoria e avaliação do MASC.

 

No relatório, a análise é essencialmente feita em torno dos dois grandes outputs do MASC, nomeadamente, fundos para projectos de monitoria e advocacia e desenvolvimento de capacidades disponibilizados às OSC ́s e apoio para o desenvolvimento de capacidades e acesso à informação sobre governação oferecido aos representantes da sociedade civil e OSC ́s. No entanto, mais do que olhar para o progresso e resultados das actividades a nível de cada output, o relatório explora os efeitos e mudanças induzidas pelas acções apoiadas em termos de capacidades das OSC ́s e seu engajamento na monitoria e advocacia da governação – propósito do MASC. Onde possível, o relatório também faz algumas extrapolações sobre o actual ou potencial impacto do conjunto de efeitos e mudanças sobre os processos e práticas de governação – objectivo geral do MASC - e sobre a vida dos grupos alvos.

 

O relatório apoia-se em alguns exemplos de histórias de sucesso e de boas práticas, baseadas em estudos de caso, para reforçar a avaliação do grau de alcance do propósito e objectivo geral do MASC – fazendo de evidências o plural das anedotas.

 

Em termos de estrutura, para além do sumário executivo e da introdução, o relatório integra sete capítulos nomeadamente, i) apoiando o engajamento das OSC ́s na monitoria e advocacia da governação; ii) fortalecendo as capacidades das OSC ́s; iii) mudanças resultantes do apoio do MASC; iv) impactos do apoio do MASC às OSC ́s; v) percepções dos stakeholders sobre o MASC; vi) parcerias estratégicas do MASC e inovação; vii) prossecução do MASC para além de 2015. O mesmo inclui ainda um anexo com a lista de todos os projectos financiados em 2012.

 

Poderá ler na integra o Relatório Anual de 2012 aqui (port).

Estudo das Percepções dos Stakeholders do MASC 2012

 

O Mecanismo de Apoio à Sociedade Civil (MASC) é um projecto financiado pelo Departamento Britânico para o Desenvolvimento Internacional (DFID), Cooperação Irlandesa (Irish Aid) e Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID).O seu propósito é o de fortalecer e diversificar o envolvimento das Organizações da Sociedade Civil (OSCs) Moçambicana na Monitoria e Advocacia da Governação, como forma de contribuir para melhorar a governação e prestação de contas aos cidadãos Moçambicanos.

 

O Estudo das Percepções dos Stakeholders enquadra-se no Sistema de Monitoria e Avaliação e aprendizagem do MASC e teve como objectivos principais: 1. A obtenção integrada da imagem que os stakeholders têm do MASC, relativamente aos seus objectivos, abordagens, estratégias e resultados; bem como relativamente ao funcionamento, desempenho e eficácia da sua Unidade de Gestão (UG) e 2. Agregar evidências sobre  boas práticas, bem como das áreas que possam requerer atenção específica por parte da UG e estruturas de governação do MASC.

 

A recolha de informação e sua posterior análise foram orientadas pelos critérios de Relevância, Eficácia e Eficiência, tendo o estudo sido realizado no sentido de obter as percepções dos stakeholders ao nível dos outputs do MASC, permitindo dar resposta a um conjunto de perguntas/questões chave pré-definidas.

 

Esta recolha foi realizada com recurso a: a) Revisão Documental: dos principais relatórios, estudos e outras publicações; b) Questionários: para recolha de dados quantitativos, tendo sido elaborados dois questionários distintos, nomeadamente: i) um administrado a todas as OSCs que são, actualmente, beneficiárias de fundos, num total de 41 OSCs; e ii) outro administrado a todos os beneficiários de iniciativas de desenvolvimento de capacidades e/ou acesso à informação, desde que tivessem acesso a internet e uma conta de email, num total de 111 possíveis destinatários; e c) Entrevistas semi-estruturadas: realizadas junto de uma amostra alargada de stakeholders, que permitiram perceber e aprofundar os resultados quantitativos encontrados e recolher a opinião daqueles junto dos quais não foi realizada a pesquisa quantitativa, nomeadamente, OSCs parceiras, representantes do Governo (ao nível local,  provincial e central), representantes dos doadores, do staff do MASC e dos media.

 

Poderá ler na intergra o Estudo das Percepções dos Stakeholders do MASC 2012 (port) (ing)

Resultados e impactos do desenvolvimento de capacidades oferecido pelo MASC em 2011

 

 

Durante o ano de 2011, 1678 pessoas provenientes de 411 OSCs  de todo o país beneficiaram de apoio directo  para o desenvolvimento de capacidades oferecido pelo MASC. Deste total, 924 pessoas entre representantes de OSCs, líderes comunitários, representantes dos governos distritais e dos órgãos (Conselhos Municipais e Assembleias Municipais) são beneficiários de capacitação sobre ferramentas de monitoria e advocacia onde se incluem o Cartão de Avaliação Comunitária (CAC), Auditoria Social (AS) e Guiões de Consulta para a Participação Comunitária e da Sociedade Civil .

 

De salientar que o alcance das capacitações oferecidas pelo MASC, transcende os beneficiários directos (pessoas e OSCs) pois, algumas das OSCs beneficiárias fizeram réplicas internas das capacitações recebidas e, um número considerável de pessoas e OSCs que não participaram nas capacitações beneficiou dos manuais de formação e dos guiões produzidos e disponibilizados no âmbito do programa de desenvolvimento de capacidades, para além dos beneficiários de trocas de experiencias promovidas pelo MASC a vários níveis.

 

Este relatório é uma avaliação dos resultados e impactos do apoio do MASC para o desenvolvimento de capacidades das OSCs oferecido em 2011, com particular ênfase para as ferramentas de Auditoria Social e Guiões de Consulta para a Participação Comunitária e da Sociedade Civil, que beneficiaram um total de 889 pessoas em 28 municípios e 10 distritos em todo o país. O mesmo resulta da recolha de informação através de um inquérito  complementado por entrevistas, administrados à uma amostra das OSCs, governos distritais e órgãos municipais beneficiários em todo o país. Foram enviados formulários a 83 beneficiários (OSCs, governos e órgãos municipais), dos quais responderam 50 (60%) - e foram entrevistadas 25 instituições beneficiárias , entre OSCs, governos distritais e órgãos municipais.

 

 

Poderá ter acesso ao relatório em português e em inglês.

Relatorio Anual (2011) do MASC

 

Nos últimos anos o DFID e a Irish Aid têm estado a apoiar o Mecanismo de Apoio á Sociedade Civil para fortalecer as OSCs, com vista a melhorar a governação e a prestação de contas aos cidadãos Moçambicanos, através de uma alocação financeira de 7,882,642.09 Libras da Grã-Bretanha. Ao longo do período dos últimos quatro anos e meio o MASC foi sujeito á uma Revisão Operacional - OR (2009)1 e uma Revisão Intermédia - MTR (2010)2, ambas externas e encomendadas pelos doadores. As constatações e recomendações dos dois processos foram utilizadas para melhorar a implementação do MASC, assim como para alimentar o processo de preparação da sua extensão. Até ao fim de 2011 o apoio do MASC á projectos de monitoria e advocacia através da alocação de fundos beneficiou mais de 126 OSCs, incluindo ONGs internacionais, OSCs nacionais, fóruns e plataformas da sociedade civil, OBCs e OSCs baseadas no distrito cobrindo as 11 províncias, 65 dos 128 distritos, e 35 dos 43 municípios, em todo o país. O MASC apoia um número crescente de OSCs Moçambicanas com ênfase para as Organizações de Base Distrital, Organizações Baseadas na Comunidade (OBCs). Das 126 OSCs que beneficiaram de fundos para projectos, 58 (46%) são Organizações de Base Distrital e OBCs. Através do desenvolvimento de capacidades e acesso á informação o MASC já beneficiou mais de 12.600 pessoas provenientes de mais de 1050 OSCs em todo o país.

 

Poderá ler na integra o Relatório Anual de 2011 aqui (port) (ing).

OSC´s apoiadas

Como somos vistos?

Nilza Mabeze

Eu gosto da dinâmica das formações do MASC porque são atractivas e dinâmicas, ajudando o ambiente da aprendizagem

Estudante

Orlando Penicela

A formação em Auditoria Social despertou ainda mais o meu sentido de cidadania e a minha habilidade conceptua em relação ao assunto.

Estudante

Carlos Manjate

Esta deve ser uma das formações(Auditoria Social) mais pertinente para os jovens pela pertinência dos assuntos.

Estudante

Armando Nenane

O MASC é uma verdadeira escola de cidadania. (...) Esta a desempenhar um papel crucial nesse aspecto, com impacto visivel na melhor qualidade do trabalho de monitoria e advocacia da governação(...)

Coordenador Executivo da Associação do Jornalismo Judiciário

Fotos

Newsletter

Caso deseje subscrever a newsletter da MASC, por favor complete o formulário abaixo.

Quem está online?

We have 40 guests and no members online